terça-feira, 6 de novembro de 2007

Em Fogo 6 - Opostos


Num dia de Verão olhaste-me nos olhos e perguntaste o que via eu em ti... respondi ao teu olhar e disse que conseguia ver o que tu representavas, eras simplesmente a Mulher que me completava e da qual podia dizer que adoro o exterior e o interior.
Tu estranhavas a minha resposta e perguntavas o que via eu no teu interior... eu respondia, sem perder o teu olhar de vista, que o mais importante não está à distância de um toque ou ao alcance do olhar, mas deve-se à tua personalidade e forma de encarar a Vida que me fazia sentir leve e fora de mim.
Tu achavas estranho eu sentir-me fora de mim quando estava contigo já que sentias não ser uma pessoa especial... eu respondia-te que o ser especial está no coração de quem ama e que mesmo o mais vulgar se pode transformar num diamante.
Tu perguntavas o que mais gostava em ti... eu respondia que era o teu sorriso, só isso me deixava leve, como se pudesse abrir as asas e voar, tu tinhas esse efeito sobre mim como se de um feitiço se tratasse.
Tu agradecias por eu estar presente naquele momento especial... eu tentava dizer que não precisava de agradecimentos porque o meu coração era teu, mas aquilo que ficou na minha mente foi o toque dos meus dedos na palma da tua mão para te relaxar.
Tu perguntavas que é isso do Amor... eu respondia que o Amor é quando estamos com alguém e conseguimos ser nós próprios, sem que tenhamos de procurar cativar a qualquer preço ou ser aquilo que nunca seremos, apenas para agradar.
Tu perguntavas como era possivel eu amar-te sendo nós tão diferentes... eu respondia que isso é apenas uma ideia pré-concebida, os opostos nem sempre se atraem, mas nós dois tinhamos tudo para dar certo, principalmente nas nossas imperfeições.
Tu perguntavas o que eu sonhava... eu respondia que sonho contigo e no dia que conseguirei que tu olhes para mim e me vejas da mesma forma que eu te vejo e possamos assim voar os 2 nas asas do Sonho.
Tu dizias que eu era louco... eu respondia que a loucura torna a Vida mais aliciante e, se queremos que os nossos sonhos se realizem, devemos ser loucos e arriscar, porque enquanto não temos medo de dizer o que sentimos, somos capazes de amar.
Tu dizias que tinhas outros gostos... eu respondia que, apesar de tudo, te respeitava e esperava que um dia visses que o meu amor é válido quanto qualquer outro.
Tu perguntavas para onde vamos quando morremos... eu respondia que não sabia, mas que esperava que quando esse dia chegasse estaria a teu lado para te apoiar onde quer que fosses.
Tu dizias "Acorda" e eu abria os olhos do sonho de ter quem me ame.
Carpe Diem.

4 sakês:

pensamentosametro disse...

Lindo, inundaste o meu dia de beleza, obrigada.Só não acredito que uma pessoa como tu, com essa alma, não tenha encontrado quem te ame!


Bjos

Tita

Thunderlady disse...

"nós dois tinhamos tudo para dar certo, principalmente nas nossas imperfeições"

Comentários? qualquer um que eu faça agora seria supérfulo. Gostei muito deste sushi.

Carpe Diem disse...

Tita... obrigado eu pelo elogio mas podes acreditar nisso mesmo, até eu n entendo mas talvez a sabedoria dos anos me ajude... quem sabe :)

Carpe Diem disse...

Thunder... ainda bem que gostaste, é sempre essa a minha intenção e como se deve perceber escrevo sempre de alma aberta.


Blog Design by ThunderDrum. Based on a Blogger Template by Isnaini Dot Com and Gold Mining Companies. Powered by Blogger