sábado, 26 de julho de 2008

Concreto II

Acerca deste meu post no Blog que teve que ter nome algumas pessoas levantaram a questão acerca de onde trabalho.

Uns conhecem-me pessoalmente, sabem bem e agradeço-lhes por não revelarem nada.

Não é que seja de grande secretismo, porque já não é a primeira vez que ponho fotografias ou falo do trabalho.

O meu local de trabalho divide-se em dois ambientes. Exterior e interior.

Estou sozinha a assegurar um cargo de relativa importância - relativa porque legalmente é importante mas dentro da organização não o consideram como tal.
Assim, além de sozinha por não ter mais nenhum colaborador para me ajudar no trabalho estou sozinha no que diz respeito a todas as medidas e a tudo o que diz respeito ao trabalho. Aqueles que me "amparam" e me tornam a jornada mais agradável são os que menos poder decisor têm.

Mas a grande questão. Onde trabalho?

Onde raio trabalha a Thunderlady que publica fotos de praia, trânsito, vaquinhas, papoilas, malmequeres... sim, onde?

A Thunderlady trabalha nos arredores de Lisboa. Percorro variados circuitos, dos mais urbanos aos quase rurais. Lido com o empresário engravatado e empertigado e com o fulano que não sabe ler nem escrever.

Aperta com gosto a mão dos que dão no duro diariamente e com muita vontade apertaria alguns pescoços.

Vê e ouve histórias que fazem sorrir e outras que trazem lágrimas aos olhos.

Vê e ouve argumentos que revoltam.

Mas firme e (cada vez mais) confiante que será capaz a Thunderlady vai continuando a dar os seus passos nos terrenos mais agrestes.

E lá vai ela, sozinha todos os dias para o que nunca sabe como será nem o que vai acontecer.

A Thunderlady tem um trabalho tão imprevisível que já desistiu de programar as tarefas. Faz um alinhamento do essencial e susbstituiu a margem de concretização de horas para semanas ou até meses.

Porque o trabalho da Thunderlady é imprevisível a todos os níveis. Tão imprevisível que a qualquer momento pode aparecer-lhe à frente uma manada de bois ou cavalos. Dos quadrúpedes ou bípedes.

Uma coisa eu sei. A Thunderlady gosta do que faz. Não gosta de o fazer naquela (des)organização.

7 sakês:

Anónimo disse...

A Thunderlady gosta do que faz...

E isso já é quase tudo para te sentires sempre um bocadinho feliz.
A outra parte que falta ao quse tudo para ser elevado a tudo, há-de surgir.
Mais flor menos flor, mais fotografia menos fotografia, mais vaca menos vaca. Ou toiro.

Mas vai surgir.
e já assim é tão bom! Só porque a Thunderlady gosta do que faz!

Abraço! :)

Teresa

Borboleta disse...

gostar do que fazêmos já é óptimo!
O chato mesmo é as pessoas que nos dificultam o trabalho...como costumo dizer...Adoro trabalhar e faço sempre que preciso, mas não me trabalhos (leia-se chatices e aburrecimentos)!

Piston disse...

Traficante de órgãos?

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gostar do que se faz é mais do que meio caminho andado para sermos felizes!

Me Hate disse...

Como te entendo... em todos os níveis, também gosto(ava) de fazer um meu trabalho não gosto(ava) era daquela maldita (des)organização...

instantes e momentos disse...

Parabens pelo teu blog.
Um bom domingo.
Muito bom o modo que te expressas.
Maurizio

Fatima disse...

Thunder o importante é gostares do que fazes......


Blog Design by ThunderDrum. Based on a Blogger Template by Isnaini Dot Com and Gold Mining Companies. Powered by Blogger