segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Em Fogo 2 - Compreensão


Nos dias de hoje torna-se cada vez mais difícil estabelecer relações duradouras com outras pessoas derivado de um elevado stress e falta de paciência para compreender o outro. Investir num relacionamento, seja ele romântico ou de amizade, requer tempo, paciência, cedências, compreensão, carinho e, acima de tudo, confiança no outro.
A evolução do tempo cria clivagens entre as pessoas seja por intermédio de preconceitos (raciais, sexuais, fisicos, psicológicos...) ou porque cada pessoa se reduz à sua própria "concha" e tem dificuldade em assimilar a ideia de viver em conjunto. É certo que, hoje em dia, o tempo é cada vez mais escasso para estar com outras pessoas exteriores à nossa familia mas, em minha opinião, trata-se de algo essencial para manter algum grau de sanidade mental pessoal.
Costuma existir aquela ideia de que a loucura apenas acontece na juventude (ou mesmo antes) e que, com a idade, as coisas têm de acalmar e eu pergunto "porquê?" Porque não podemos continuar a ser loucos ou crianças mesmo que o nosso exterior demonstre uma idade "respeitável"? Porque será que se estabeleceu que a velhice tem de consistir na espera da Morte? O ideal reside em ser um adulto com mentalidade de criança, questionando sempre a Vida e procurando nas pequenas coisas a beleza reservada aos "milagres".
Os relacionamentos actuais pecam por uma falta de tempo em conhecer o outro e, sobretudo, pela dificuldade em dar liberdade. Podemos fazer parte de uma relação e, ao mesmo tempo, ter o nosso espaço e isso baseando-se sempre numa forte compreensão e respeito pela individualidade de cada um. Como dizia Sófocles: "... Para quem tem medo, tudo são ruídos...".
Para quê impor limites quando duas pessoas se amam? Obviamente que ciúmes sempre existem, contudo terão de ser em dose suficiente de modo a não sufocar o relacionamento. A melhor forma de alcançar a compreensão, quanto a mim, reside no diálogo... uma conversa aberta e franca pode ajudar a resolver problemas aparentemente insolúveis, desde que ambas as partes estejam receptivas a isso.
Gostaria de ver um Mundo como uma imensa Torre de Babel, onde o diálogo imperasse e a linguagem do coração fosse suficiente para comunicar com qualquer pessoa. Devemos colocar os sentimentos mesquinhos de lado e abrir o coração, porque mais vale viver e sofrer do que não viver de todo.
Compreender o outro em todas as suas cambiantes é sempre o caminho mais seguro para que todos se sintam bem. Por vezes, dadas as desilusões da Vida, torna-se difícil uma entrega por inteiro e ficamos sempre com medo de quando seremos colocados de parte mas, muitas vezes, estas situações impedem-nos de ver o horizonte e, eventualmente, descobrir uma estrela que brilha para nós e connosco.
Sejam felizes compreendendo o outro e não mudem apenas para agradar, cedam sim, mas mantendo sempre a vossa personalidade e respondam apenas pela linguagem do coração. Ser feliz é dificil (não diria utópico, mas quase), contudo isso apenas depende de cada um e da forma como escolhem o rumo da Vida.
Carpe Diem.

5 sakês:

Thunderlady disse...

Uma entrada que aborda um imenso número de temas, na minhanopinião bem enquadrados uns nos outros. Não é fácil escrever sobre assutos "delicados" sem perder o fio à meada. Gostei do modo como sintetizaste e abordaste as questões.

como dizes tão bem o diálogo deve ser a forma principal de entendimento, permite que os assuntos sejam esclarecidos - muitas vezes quando nem é preciso para uma das partes mas para a outra é.

Ás vezes é difífil dialogar não pelo que temospara dizer mas porque o outro lado não está ainda preparado para ouvir.

:)

pensamentosametro disse...

Carpe Diem,

Não só te entendo, como concordo contigo e procuro viver deste modo, como tão bem dizes, a idade não define a nossa atitude perante a vida.

Tita

Carpe Diem disse...

Thunder... obrigada pelos elogios e concordo ctg, muitas vezes é a outra parte que não está preparada para ouvir mas o diálogo é sempre o mais importante.

Eu gosto de assuntos complexos e prefiro sempre encará-los de frente que me esconder ao confronto :)

Carpe Diem disse...

Tita... ainda hoje na Time Out desta semana o David Fonseca dizia que não conhecia nenhum adulto da idade dele (34 anos)... eu, pela parte q me toca, sou um jovem de 31 com uma loucura de criança em mentalidade de adulto :)

Ana disse...

Sim eu concordo plenamente contigo acho que deve existir diálogo entre as pessoas, mas não foi isso que aconteceu, não quiseste dialogar comigo, sabes para mim era muito importante que me ouvisses...


Blog Design by ThunderDrum. Based on a Blogger Template by Isnaini Dot Com and Gold Mining Companies. Powered by Blogger