sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Sem ti...

Acordei.

Sinto um vazio ao meu lado.
Procuro-te na cama, mas não te encontro...
O toque frio dos lençóis indica que saíste há bastante tempo, o suficiente para eles perderem o teu calor...

Um arrepio...

Não, não podes ter saído, eu teria acordado com a porta. De certeza que tu acordaste e estás a deambular pela casa ainda meio ensonada e sem saber o que fazer...

Silêncio

Não te ouço, não sinto os teus passos, não há nada que me faça acreditar que vais voltar para a cama, para o meu lado...mas eu acredito.

Sinto o teu cheiro na almofada.

Reviro os lençóis, como se ainda te procurasse, como se ainda fosse possível tu estares ali, ao meu lado e eu não te visse, não te sentisse, não te cheirasse...

Foi por isso que saíste...?

Ainda te consigo sentir, cheirar e quase tocar...o teu cheiro nos lençóis, o teu suor, as tuas lágrimas, o teu riso, consigo ter isso tudo aqui entre os lençóis, nas minhas mãos, no meu corpo...a batida do teu coração.

Não estás...e eu sem ti acordei...


No quarto, onde em tantas noites partilhámos os nossos corpos, onde desfrutámos de cada um, nos entregámos ao prazer, onde os nossos braços se entrelaçaram e as nossas bocas se tocaram, pairam os sons e o odor a sexo...

Sinto o teu cheiro na almofada.

Nunca conseguimos partilhar o que nos ia na alma, os nossos sentimentos, os nossos seres, partilhámos apenas desejo, luxúria, necessidades, carne...nunca foste totalmente minha nem eu totalmente teu...

Foi por isso que saíste...?

Nunca falámos, nunca partilhámos pensamentos, conversas, amigos, inimigos, amizades, tempo, vida...Tudo o que eu não te disse, tudo o que eu sinto, tudo o que me faz querer estar contigo está aqui, bem dentro de mim...e tu, queres estar comigo?

Silêncio

Saíste para sempre, saíste sem me dizer uma palavra, um gesto, sem um adeus... saíste como entraste, de repente, sem aviso, sem me aperceber de como chegaste até mim...

Sinto o teu cheiro na almofada.

Sei que é tarde, não há nada a fazer, tudo o que não foi dito, tudo o que não foi sentido, tudo o que não foi mostrado, tudo o que não aconteceu, ficará por acontecer...

Não estás...e eu sem ti acordei...

12 sakês:

Thunderlady disse...

W-O-W!

pensamentosametro disse...

E esta? Muito caladito, quase não se dá por ele e depois, BUM, este talento todo para a escrita . Vou só ali num instante às urgências para me porem o maxilar no sítio e já volto. Parabéns!!!

Cat disse...

Muito bom!!

Não fiques tanto tempo sem nos brindar com pérolas destas!! ;)

Aisling disse...

UAU! Acho que foi sem dúvida um dos melhores que já 'provei' por aqui! ;)

ThunderDrum disse...

/embarrassed mode on

Muito obrigado!

/emabarrassed mode off

Flávio disse...

CLAP CLAP CLAP
(isto é uma ovação de pé)

Carpe Diem disse...

Muito bem!!! Gostei da forma poética e suave como foi escrito, demonstra bastante sensibilidade e um romantismo das ideias e dos sonhos...

Os meus Parabéns!!

ThunderDrum disse...

Obrigado, Flávio e Carpe...agora sei pq a minha ThunderLady stressa com a responsabilidade de escrever e não desapontar...

Just Me disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Just Me disse...

Bem, é a primeira vez que "entro aqui" e dou logo de caras com um texto fantástico. Certamente que não poderia ser meu, pois não possuo o dote de uma escrita como esta, mas deixe-me dizer que já os sentimentos que transmite podiam ser bem os meus. Palavra por palavra...
Ainda que sejam palavras tristes obrigada por elas... :)

Cai de Costas disse...

Vai-te lixar.
Conheço-te há "que tempos" e andaste este tempo todo a disfarçar?
Vai-te lixar. Mesmo!

ThunderDrum disse...

just me: bem-vindo e não tens nada q agradecer.

CdC: Disfarçar? Não ;)


Blog Design by ThunderDrum. Based on a Blogger Template by Isnaini Dot Com and Gold Mining Companies. Powered by Blogger