terça-feira, 12 de agosto de 2008

Em Fogo 23 - O Meu Caminho

Catarina é feliz consigo própria, quando acorda de manhã e sorri a mais um dia, mesmo que o tempo esteja escuro... veste-se como se fosse a uma festa, mesmo que tenha de usar fato/calça para uma entrevista de emprego... anda na rua de cabeça erguida, mesmo que o dinheiro não seja suficiente para aguentar o fim do mês.
Catarina inspira nos outros alegria, vontade de viver, faz sonhar e permite a uma pessoa triste, sorrir por dentro, devido a tanta exuberância... ao caminhar na rua, é capaz de parar para dizer "olá" a um desconhecido (a), dar um abraço a quem não conhece e sente que precisa, sorrir a alguém que tem os olhos marejados de água impedindo que esta saia.
Catarina não tem medo de nada, porque acredita que esse é o rumo para a felicidade... perdeu, há muito, o medo da morte depois de lhe diagnosticaram um cancro no estômago... a partir desse momento, acredita que a Vida é mais do que sofrer, é mais do que fazer o mesmo todos os dias, é mais do que ficar parado sem sentir, é mais do que perder tempo com pequenas coisas.
Catarina decidiu seguir o seu caminho... um caminho que pode ser difil, com altos e baixos, com pouco dinheiro... contudo, para ela, o mais importante foi alcançado... a plena felicidade e a unica preocupação de ser fiel a si própria e amar-se a si e assim poder dar-se aos outros.
Catarina só notou o quanto temos medo de nos entregar quando ao dar um sorriso, um abraço, uma palavra a um desconhecido (a) era vista como louca... apenas porque mostra a sua felicidade e a partilha com os outros... o mais curioso, pensa ela, é que muitas vezes as pessoas precisam de um abraço, de se sentir queridas, de se sentir desejadas mas têm medo de o demonstrar.
Catarina pegou no seu destino nas mãos, calçou os sapatos da Vida e subiu... continua ainda a subir por essa estrada até que lhe apareça o sinal de "sentido proibido" mas, até mesmo nessa altura, ela irá sorrir abertamente e dizer "olá, aqui estou".
Carpe Diem.

6 sakês:

Me Hate disse...

Essa Catarina não se chama Ana Mamede pois não?

Namaste disse...

Ai Jasus a Ana tá doente?
ou achas que a comparação é só pelo seu sorriso contagiante, pelo seu humor imutável, pela sua capacidade de andar pra frente?
Espero que o tal sinal de proibição ainda não tenha, sequer, sido feito!!!

Carpe Diem disse...

Me Hate...

Esta Catarina não é essa tal de Ana Mamede mas bem que podia ser, à parte de não sofrer (ou ter sofrido) de tal doença.

Felizmente, essa Ana Mamede só sofre de uma doença chamada viver :)

Carpe Diem disse...

Namaste...

Que eu saiba não está doente (a não ser aquela loucura natural) e o sinal de proibição ainda tardará a aparecer.

Concordo que esta Catarina tem traços "mamedianos" apesar de ter sido inspirada livremente :)

Me Hate disse...

Namaste e Carpe: a comparação com a Ana que todos conhecemos cinge-se realmente aos traços positivos que ela tem... quanto ao resto felizmente nada de comparação!

Ovinho Estrelado disse...

eu tenho "un je sais pas quoi" da Catarina.

Mas, afinal, creio que todos temos algo dela, não é verdade?

Abraço imenso.


Blog Design by ThunderDrum. Based on a Blogger Template by Isnaini Dot Com and Gold Mining Companies. Powered by Blogger